Chaves
Página Inicial Personagens Erros Chapolin Colorado Cronologia Contato Mapa do Site Privacidade
 

 

Rubén Aguirre Fuentes

Rubén Aguirre Fuentes nasceu em 15 de junho de 1934, em Saltillo, Coah., México. Filho de Rubén Aguirre Flores, oficial do Registro Civil por quase quarenta anos e de Victoria Aguirre Fuentes, professora normalista, é o mais velho dos seis irmãos e é, também, o mais alto de todos - tem 1,95m de altura!

Estudou em Saltillo até o segundo ano primário e, junto com sua família, foi viver em Torreón, Coah., onde estudou o ensino fundamental na escola Centenario e o ensino médio na escola Venustiano Carranza. Depois estudou uma pequena carreira de Perito Agrícola em Santa Teresa e Agua Nueva, municípios de San Pedro, Coah.

Desde pequeno, Rubén era muito inquieto, não podia ficar em paz e sempre estava planejando o que fazer e como sair adiante. Por isso, a carreira de Perito Agrícola não lhe era suficiente e foi viver em Cd. Juárez, Chih., para estudar na Faculdade de Agronomia Hermanos Escobar a carreira de Engenheiro Agrônomo.

Ele mesmo conta que em Saltillo existia uma excelente escola, a Universidade Autônoma Agrária Antonio Narro, mas lá não lhe validaram os estudos que tinha e como não podia e nem queria perder tempo, foi onde aceitaram que já tinha estudado.

Em Cd. Juárez, além de sua carreira universitária, realizou muitas e muito variadas atividades: tinha aulas de canto, de atuação, de esgrima e de piloto de avião particular; praticava touradas, chegou a tourear através de festivais.

Sem dúvida, o que mais lhe agradou foi o teatro, o que o aproximou por obra do destino: Rubén vivia em uma pensão e à filha da dona, que estudava na escola preparatória Teófilo Borunda, haviam dado um papel em uma peça de teatro. Ela o pediu que a ajudasse a imitar o sotaque e a forma de falar dos espanhóis. Depois de ensaiar embaixo de sua supervisão, o fez tão bem que o diretor da obra o pediu que ensaiasse com o resto do elenco; Rubén Aguirre resolveu ir aos ensaios todas as noites e intuitivamente, indicava os atores como mover-se no cenário.

O diretor da mesma, o mestre Gómez Fernández, depois de observá-lo e ver seu entusiasmo e as animadas sugestões, finalmente o pediu que se fizesse diretor da peça teatral, a qual ia participar em âmbito nacional em um concurso organizado pela INBA (Instituto Nacional de Belas Artes). Rubén Aguirre aceitou, por amor a arte, e a primeira obra que montou, titulada "La niña de Fuego" (A menina de fogo), ganhou o 2° Lugar.

Depois, o mestre Gómez Fernández o ofereceu a cátedra de Teatro na preparatória, agora sim com um salário, o qual o entusiasmou muito. Devidamente acessorado por experientes e com os livros adequados, ingressou no magistério, mas não como o personagem televisivo no qual se converteria com o tempo, e sim como um professor de verdade. Já como mestre de Teatro, Rubén Aguirre, que nesse tempo tinha 19 anos, montou outras obras como "Entremeses Cervantinos" (Entre meses Cervantinos), "Médico a Palos "(Médico a Paus), "Sirena y Tritón"(Sirena e Tritón) e inclusive a ópera "El Rapto de Zoraida" (O Rapto de Zoraida), a qual foi espectacular: a mestra Ma. Teresa Núñez Aguirre compos a música; a letra o mestre Gómez Fernández; se conseguiu a Sinfônica do Estado do mestre Raymundo Diéguez, os arranjos os fez o mestre Correa, o Governo do Estado bancou os fundos econômicos para montar a obra e Rubén Aguirre foi o promotor e diretor da mesma, por isso teve que conseguir barítonos, tenores, bailarinas e sopranos.

Depois de muitos ensaios, um dos barítonos decidiu sair da obra, por isso tinha que conseguir outro e para não interromper os ensaios, Rubén Aguirre o substituiu já que tinha boa voz e conhecia todas as regras. Finalmente, acabou participando na obra como parte do elenco, além de ser o diretor e esta foi sua primeira atuação formal.

Além do citado anteriormente, foi também locutor profissional, primeiro em XEJ, depois em XEYC e XEWG, todas rádiodifusoras em Ciudad Juárez, nas quais criou programas musicais, de concurso, cômicos, de entretenimento e informação. Continuou com seus estudos e com seu trabalho de mestre e diretor de teatro, mas sobretudo lia, lia muito e escutava boa música. Até hoje, lê pelo menos duas horas todos os dias e isto lhe permitiu ter uma cultura mais ampla.

A mãe de Rubén o chamou um dia e o pediu que fosse a Saltillo conhecer seu primeiro sobrinho que acababa de nascer. Rubén o fez e seu cunhado, Roberto Orozco Melo, o levou a uma estação de Saltillo, a XESJ que, desde então, era dirigida por Lic. Jorge Ruiz Schubert e, sem saber Rubén o que estava acontecendo, fez uma prova e o pediram que trabalhasse como locutor.

Depois seu cunhado o explicou que sua mãe o amava e ficaria muito feliz se ele regressasse a Saltillo, para estar perto da família. Rubén decidiu atender a sua mãe e, depois de despedir-se de seus amigos em Cd. Juárez, chegou a Saltillo onde radicou durante algum tempo e alí trabalhou como locutor e como repórter para a estação de rádio XESJ.

Nesta estação, ocorreu uma coisa curiosa: Em uma ocasião convenceu ao gerente que transmitisse uma corrida muito importante que ia acontecer algumas semanas mais tarde, dizendo que tinha os conhecimentos suficientes para ser ele o cronista. Talvez não muito convencido, o licenciado Ruiz Shubert aceitou e conseguiu dois patrocinadores para o evento.

Chegada a data, partiu Rubén com a "equipe técnica" composta somente por don Antonio Escobedo e um ajudante. Na cabine, ficou como locutor de turno José Guadalupe Medina Cepeda.

A transmissão ia se iniciar uns minutos antes das quatro da tarde desse domingo e o Licenciado Ruiz Shubert, que aos domingos a essa hora só iria ao cinema com sua esposa, decidiu antes passar pela rádiodifusora, deixando sua esposa sozinha "só um momentinho" para estar presente na hora da transmissão na praça dos touros. Enquanto esperava o momento, deu instruções a Medina de que se Rubén Aguirre começasse a hesitar ou a mostrar desconhecimento do tema ou se simplesmente sua transmissão começasse a ficar tediosa o aborrecente, sem mais nem mas, o tirasse do ar e continuasse com a programação habitual.

Chegou o momento da transmissão. Aguirre começava a falar do que acontecia na praça e o licenciado não se mexeu mais na cabine, tomou assento e se pôs a escutar a transmissão. Lolita, sua esposa, cansada de esperar sozinha, se baixou e entrou para ver o que se passava, e se surpreenderam ambos, não só até o término da corrida e sim até chegar Rubén com a equipe técnica à estação, onde foi felicitado pela transmissão da corrida de touros.

Passaram dois ou três anos e o Lic. Ruiz Schubert enviou Rubén a cidade de Monterrey para que fizesse uma prova em uma estação filial, a XEFB, e o aceitaram, por isso foi viver nessa cidade. Nessa estação conheceu grandes locutores como Víctor Alcocer, Héctor Martínez Cavazos, Carlos Saucedo Rubí, Eduardo Errejón Chávez, Mario Valle, Juan Carlos Orgado y Francisco Gómez, entre outros.

Conta Rubén Aguirre que uma vez, fazendo a voz de Zarco, o qual descreviam como um galã de olhos azuis, loiro, alto e de muito bom tipo (personagem de uma rádio-novela de Vate Calderón Navarrete) bateu à porta de sua casa uma menina, que perguntou a esposa de Rubén, Consuelo, se ali vivia Zarco.

Ela respondeu que sim, que efetivamente vivia. A menina pediu emprego, sem se importar com salário, condições de trabalho ou outras coisas: ela queria estar perto de Zarco. Ao chegar Rubén Aguirre a sua casa, já de noite, a menina saiu da cozinha para conhecê-lo e, ao vê-lo, simplesmente recolheu suas coisas e se foi: a descrição que o narrador da novela fazia de Zarco, não correspondia a realidade, mais que na estatura.

O mesmo dono da XEFB que era também dos canais dez e três, atualmente canal dois, que nessa época eram muito fortes, começou a chamar pessoal. Rubén Aguirre fez as testes seletivos e entrou como locutor. Um dia, por ausência do animador do programa "Variedades del Mediodía" Rubén o substituiu. Gostou de sair na televisão e começou a fazer anúncios publicitários.

Conta o senhor Aguirre Fuentes que em sua casa não tinha um aparelho de televisão, por isso sua esposa Consuelo ia as lojas e assim podia vê-lo pois ficavam ligados televisores. Já de noite, quando ele chegava a sua casa, ela ficava emocionada como se nunca o tivesse visto.

Em uma ocasião, Rubén disse aos produtores que tinha grande conhecimento em touradas e que podia transmitir como cronista as corridas de touros. O puseram a prova e começou a narrá-las pelo rádio, na XEFB e depois pela televisão; pouco depois, começou com um programa televisivo aos domingos à noite chamado Reseña Taurina no qual convidava toureiros ao programa e, além de entrevistá-los, eles mesmos narravam o que haviam feito na arena na mesma tarde.

Ao terminar a temporada, Rubén Aguirre organizou um programa especial, no qual se outorgavam troféus aos melhores toureiros, a melhor bandarilha, etc. da temporada taurina e, durante o evento, alguém sugiriu que alguma pessoa deveria se encargar de filmar as corridas na Espanha para transmiti-las em Monterrey.

A idéia começou a tomar forma na cabeça de Rubén e, em pouco tempo, ele foi à Espanha filmar as corridas de touros, patrocinado por Tequila Sauza. Iniciou com as temporadas de Valência, um mês de março para culminar em outubro em Zaragoza com as temporadas de Virgen del Pilar. Aquilo foi um acontecimento e êxito enorme: Rubén Aguirre foi o primeiro a trazer para a televisão mexicana as corridas das principais temporadas espanholas, como a de San Isidro en Madrid, as de Sevilla, de Pamplona, de Zaragoza, Granada, Jerez e muitas mais. Em Monterrey, o Ing. Morelos Rodríguez narrava o que seu correspondente Rubén Aguirre o enviava.

Nesses anos tudo era novidade já que não existiam satélites que faziam transmissões. Rubén, depois de filmar as corridas junto com uma vista panorâmica da cidade para localizá-las, filmava também em películas de 16 mm o pôster e enviava os negativos toda a semana por avião, junto com as notas mais importantes de cada corrida. Ainda que em Monterrey as transmissões eram feitas com uma semana de atraso, era um grande acontecimento porque pela primeira vez as pessoas e os apaixonados por touradas, podiam ver os grandes toureiros espanhóis, e os mexicanos que se aventuravam na Península Ibérica para provar sorte, executando sua arte.

Um dos grandes triunfos que Aguirre teve, foi quando filmou a alternativa de Manuel Benítez, o Cordobés, quem havia sido um dos mais destacados e polêmicos toureiros, em toda a história das touradas.

Rubén Aguirre, se dedicou a filmar as corridas das principais temporadas espanholas, por três anos consecutivos, até que o toureiro mexicano Manolo Martínez, em 1965, proibiu que entrassem câmeras de televisão nas praças de touros se não o dessem uma participação, o qual, segundo opina Rubén Aguirre, era muito justo porque naquele tempo, Tele Sistema Mexicano entrava nas praças de touros, transmitia a corrida patrocinado por una empresa de cerveja e nem os agradecimentos davam aos toureiros, quem no final das contas, eram os que estavam fazendo seu trabalho, arriscando a vida para executar as touradas. Todos os demais toureiros assumiram a mesma postura e, ao unirem-se, a televisão deixou de transmitir as corridas no México, até uns anos depois em que ficaram de acordo sobre o pagamento aos toureiros pelo conceito de direitos pela transmissão.

Rubén Aguirre voltou a Monterrey para trabalhar no canal seis, que estava começando a surgir, e trabalhou como chefe de locutores e mão direita do gerente do canal. Pouco a pouco, o novo canal começou a competir com o Tele Sistema Mexicano, tanto que Mario Moreno "Cantinflas" os apelidou "Los Bravos del 6" (Os bravos do 6), pelo enorme esforço que fizeram e pelo ibope tão elevado que alcançaram.

Depois, os mesmos donos do canal seis, abriram um canal no México, o canal oito, e o contrataram, mas não como ator nem como locutor, e sim como sub-gerente de produção, o que implicava criar o canal desde sua fundação, sentar as bases do novo canal televisivo nos estúdios de San Angel Inn.

Quando entraram no ar, passou a trabalhar durante a semana como executivo do canal, e nos fins de semana trabalhava como ator em um programa de sábado que se chamava "Chespirotadas" (Isso mesmo! O programa era de Chespirito) e nesse programa atuava junto com Luis Manuel Pelayo, Chachita, o tremendo Juez da Tremenda Corte, Aníbal De Mar, Bárbara Ramson e Maria Antonieta de las Nieves, entre outros.

Sem dúvida, não pôde seguir assim muito tempo, porque o diretor do canal o disse que devia escolher entre ser ator ou executivo, que para a imagem da empresa, não podia negociar como executivo durante a semana e nos fins de semana estar recebendo cumprimentos como ator. Rubén Aguirre não pensou duas vezes e decidiu ficar como ator, apesar que não sabia se como tal ia ganhar o suficiente para manter sua família que, até então, já era numerosa.

Rubén Aguirre nunca se arrependeu de ter tomado essa decisão, porque rapidamente trabalhou com Chespirito e se constituiu em seu primeiro companheiro de atuação e fizeram muitos programas juntos, entre os quais estão "El ciudadano Gómez" (O cidadão Gómez) e "Los Super Genios de la Mesa Cuadrada" (Os Super Gênios da Mesa Quadrada), para culminar com "Chapolin Colorado" e "Chaves" que foram os programas que os internacionalizou.

Quase de imediato começaram a fazer turnês, primeiro no México e posteriormente pelos países da América, incluindo os Estados Unidos.

Atualmente, o programa se transmite em mais de oitenta países e está traduzido em idiomas como coreano, russo, inglês e italiano.

O Chaves foi um êxito total, tanto que se mantém durante mais de trinta anos dentro do gosto do público televisivo; inclusive, é possível afirmar que se converteu em um clássico da televisão mexicana. O programa, como dissemos anteriormente, agrada crianças e adultos, se retransmite em muitos canais, a diferente horas e todos seguimos vendo, ainda que sejam repetições.

Ligado ao anterior, Rubén Aguirre fez programas de concursos para a televisão, desde escrever o roteiro e criar os jogos, até a produção e direção dos mesmos, por exemplo Sube Pelayo Sube e o pau de sebo? Este programa, e outros como "Juan Pirulero", "Torneo de Estrellas" (Torneio de Estrelas), "Baje una Estrella" (Baixe uma Estrela), "Mi Aventura" (Minha Aventura), "TVO" e "Llévatelo" são alguns dos muitos programas que Rubén Aguirre concebeu para que o público se entretivesse, se divertisse e, além disso, ganhasse.

No cinema, também participou em alguns filmes, como "El Santo contra el Doctor Satánico" (Santo contra o Doutor Satânico), "El Moro de Cumpas", "Mi caballo el cantador" (Meu cavalo o cantor), "Sabor de Sangre" (Sabor de Sangue), "El Chanfle", "El Chanfle 2", "Charrito", "Don Ratón y Don Ratero", "El Chubasco", filme pelo qual Rubén Aguirre foi indicado ao prêmio a Diosa de Plata pela academia cinematográfica.

Também trabalhou como ator em algumas telenovelas, tais como "Mundo de Juguete" (Mundo de Brinquedo), "Rutas de Pasión" (Rotas de Paixão), "Agonía de Amar" (Agonia de amar) e "Las Aventuras de Hoc" (As aventuras de Hoc) entre outras.

No teatro atuou sob a direção de talentosíssimos mestres como Julián Duprez, Dimitri Sarras, Raúl Centeno, José Solé e outros mais.

Atualmente, Rubén Aguirre viaja por todo o México e muitos países da América encabeçando a alegria de um formidável espetáculo familiar: el Circo del Profesor Jirafales (O circo do Professor Girafales).

Página Inicial
Personagens
Curiosidades
Erros
Dubladores
Atores
Chapolin Colorado
Desenho do Chaves
Clube do Chaves
Cronologia
Bordões
Links
Contato
Mapa do Site
Privacidade